Redução de renda e cautela da pandemia farão movimentação econômica de fim de ano cair 28% em MS

O gasto médio apurado é de R$ 913,52, o que corresponde a 17% a menos que no ano passado

por: LUANA RIBEIRO - 02/12/2020 15:30

Redução de renda e cautela da pandemia farão movimentação econômica de fim de ano cair 28% em MS ARQUIVO

O gasto médio apurado é de R$ 913,52, o que corresponde a 17% a menos que no ano passado

A movimentação financeira esperada com o fim de ano para 2020 é de R$ 691,74 milhões, em Mato Grosso do Sul, 28% a menos que em 2019. O Natal deve movimentar um volume 29% menor que em 2019 e para o Ano Novo a queda é de 28%, refletindo os efeitos da pandemia, que afetou a renda de muitos e o comportamento cauteloso de outros. O gasto médio apurado é de R$ 913,52, o que corresponde a 17% a menos que no ano passado. O estudo é do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio-MS (IPF-MS) e Sebrae-MS.

Dos entrevistados, 35% tiveram a renda achatada, sendo que 3% tiveram contratos suspensos e 4% simplesmente deixaram de ter renda. A pesquisa indica que, ainda assim, desta vez os gastos com comemorações serão maiores que com presentes e o 13º , mais uma vez, vai exercer forte contribuição, uma vez que 44% da população ainda têm recursos do benefício natalino para entrar na conta. “Esse é um dado muito importante uma vez que 11% ainda não sabem o que devem fazer com o 13º salário e 30% informam que utilização nas comemorações de Natal”, diz a economista do IPF-MS, Daniela Dias.

Quanto aos gastos de Natal, devem somar R$ 431,83 milhões em movimentação econômica, dos quais R$ 155,95 milhões em presentes e R$ 275,87 milhões em comemorações. Um dado importante, é que a Black Friday pode ter antecipado R$ 100 milhões em compras natalinas. Roupas, calçados e acessórios devem ser as principais escolhas para presentes, mas 10% ainda não se decidiram. O preço será o critério de compras para 34%,  seguido dos melhores benefícios para pagamento à vista, citados por 29% dos consumidores. “O atendimento é outro fator importante, uma vez que 29% o citam como critério para tomada de decisão”.

As compras presenciais, em lojas físicas, são citadas como preferência de 71% e os sites a escolha de 25%. Quanto às comemorações, ficarão restritas à família, para 28% dos entrevistados, 49% incluem também os amigos próximos e 21% dizem que nada deve mudar em relação aos anos anteriores, mesmo com a pandemia. “Um impacto claro dos comportamentos adquiridos em função da pandemia, é que percebemos um aumento de 14% das comemorações em casa, que será opção da maioria, 34% e também aumento nos que pretendem ir para o meio rural (12%) e viajar (9%)”, diz Daniela.

A analista-técnica do Sebrae/MS, Vanessa Schmidt, afirma que neste ano o destaque está voltado às comemorações, tanto no Natal quanto no Ano Novo, por isso uma dica importante para os empresários está relacionada aos estoques, que não devem ser tão grandes, uma vez que um menor percentual de pessoas deve ir às compras de presentes.

“É preciso perceber o consumidor e oferecer produtos adequados à sua demanda. Como a maioria vai às lojas, é interessante ter equipe preparada que conheça os produtos e serviços e que consiga fazer sugestões de presentes para que o consumidor feche essa compra e garanta o faturamento e capital de giro da empresa nesta etapa do fim de ano”, diz. Ela também acrescenta que, como a maioria vai comemorar em casa e muitos vão comprar pratos prontos, os segmentos de gastronomia e supermercados devem estar atentos, com antecedência, às sugestões de pratos para as festividades.

Fonte: FECOMÉRCIO

Fazer download da imagem







Leia também

Dúvidas ou sugestões? Nos escreva!






contato

NOS ACOMPANHE NAS MIDIAS SOCIAIS